segunda-feira, 29 de abril de 2013

Arma na mão, skate na outra...entenderam?


Estou, até agora, tentando entender a capa da revista Isto É, que apresenta pela enésima vez, uma reportagem sobre a maioridade penal. Tema que sempre vem à tona na grande mídia, quando alguém da classe média/alta sofre com as ações dos chamados "marginais".

Não sou contrário ao debate. Mas acredito que no calor das emoções, podemos chegar a conclusões precipitadas sobre o assunto, deixando de levar em considerações vários fatores que influenciam no tema, como, por exemplo, o processo de distribuição de renda no país, o nível de escolarização dos jovens e a falta de oportunidade estruturante para os mesmos. Por fim. No calor da emoção, o debate pode ser rico em posições e argumentos preconceituosos.

A própria capa da revista ISTO É já demonstra esse viés. Um jovem, aparentando os seus 16 anos, vestindo um casado que quase cobre o seu rosto empunha em sua mão esquerda uma arma e, na direita, segura um skate. Como disse inicialmente, estou tentando entender a capa da revista e o por que do skate fazer parte da mesma.

Estaria a revista relacionando os skatistas como parte do perfil dos jovens que cometem crimes bárbaros e que por isso deveriam ser responsabilizados pelos seus atos?

domingo, 28 de abril de 2013

Criatividade

Caxirola, Fuleco, Cafusa...quanta criatividade, hem!!!

Sinais dos tempos!!!

Caxirola

Neste domingo, na Arena Fonte Nova, mais um clássico VI X BA, já que o mando de campo foi do time do Vitória. Mais um triunfo do rubro-negro, desta feita por 2 tentos a 1 e mais uma vez, atos de vandalismo marcaram o clássico.

No jogo de inauguração, dia 7 de abril, várias foram as cadeiras arrancadas, banheiros parcialmente depredados entre outros fatos lamentáveis. Hoje, a tal da caxirola, instrumento inventado pelo cantor e compositor Carlinhos Brown, teve uma estréia para lá de lamentável, pois foi utilizada como arma contra os jogadores do Esporte Clube Bahia por sua própria torcida, descontente, logo após tomar o segundo gol do seu maior rival, o Esporte Clube Vitória.

O artefato tem a chancela tanto do Ministério dos Esportes quanto da FIFA. Até o presente momento, não tenho conhecimento de nenhum pronunciamento oficial sobre o acontecimento.

Vamos aguardar para ver no que dará.

Detalhe. Ouvir por uma rádio, no momento da resenha do jogo, de que a coisa poderia ser bem pior. A torcida estava já planejando invadir o gramado. O estopim estava  apenas há um gol.

Se o Vitória fizesse o terceiro, a caxirola seria pouco!!!

sábado, 27 de abril de 2013

Parceria Público Privado

Depois de tudo o que ouvimos falar em 2007 sobre os megaeventos esportivos no Brasil, que já teve a alcunha de "Copa da iniciativa privada" e tudo o que estamos vendo e ouvindo de lá para cá, parece-me que é o suficiente para entendermos de uma vez por todas os fundamentos do discurso sobre a parceria do público com o privado (PPP).

Nós, o do contra, como somos conhecidos pelos otimistas ingênuos e pelos intelectuais nada ingênuos do establishment, que sempre alertamos sobre o real sentido e significado deste termo no contexto de um estado burguês, gerenciado pelos "mamíferos de luxo", não nos surpreendemos com o que vem ocorrendo na medida em que se aproxima o evento.

Mais uma ocorrência demonstra os fatos já apresentados por nós desde os jogos Pan-americanos, realizados no Rio de Janeiro. É de lá, também, o exemplo inexorável, inconteste do que significa a tal parceria público/privado.

O estádio do maracanã, que será testado hoje com um pífio jogo entre os amigos de Ronaldo e os amigos de Bebeto e que já consumiu mais de 900 milhões de reais, ainda precisará de mais 564 milhões para ficar completamente pronto. Deste valor, 113 milhões (valor aproximado), será de responsabilidade do concessionário, ente desconhecido até então. O grosso do montante será da prefeitura (260 milhões) e do governo do estado do Rio de Janeiro (192 milhões).

O estado, ou seja, o nosso dinheiro, arcará com 452 milhões dos 564 necessários. Eis o real significado da tal parceria PPP, aplaudida por todos nós que simplesmente aceitamos tudo isso.

E estou apenas me referindo ao estado do Rio de Janeiro, um dos 12 estados que se colocaram à disposição para financiar esta farra!!! E para finalizar, vale notar que inicialmente a obra do maracanã estava orçada em 957 milhões.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Saúde é o que interessa!!!

Hoje pela manhã, mais uma vez, o processo de mistificação da relação atividade física/saúde foi disseminado via reportagem no Bom Dia Brasil, programa jornalístico da Rede Globo de Televisão.

O programa veiculou que um grupo de professores de educação física, tomando como referência um estudo que comprova que 30 minutos diários de atividade física são suficientes para o indivíduo adquirir saúde, começou a promover uma campanha intitulada "30 todo dia".

Segundo os professores, esse é o tempo suficiente para que a atividade física promova sua saúde, melhore o seu bem estar e amplie sua qualidade de vida. Além disso, melhora a sua "capacidade funcional" e previne doenças, entre outros chavões reproduzidos via televisão e por outros meios de comunicação de massa. Em síntese: atividade física é receita e remédio para os males da saúde da sociedade.

E se você não puder, por alguma maneira, fazer 30 minutos? É preguiça!!! Afirma taxativamente um dos professores que fez parte da reportagem.

O que esse tipo de reportagem tem de problema é o fato de mistificar a realidade, passando a ideia de que todos nós temos as mesmas condições de realizar atividade física quando quiser, bem como as mesmas condições materiais, sociais, culturais entre outras, de prover o completo bem estar, que não se resume a ausência de doenças, como parece ter em mente os colegas professores e a lógica da reportagem.

Em um país com a saúde privatizada; um salário mínimo de 678 reais; um nível de violência urbana que vitima os indivíduos muito mais do que muitos países em guerra; taxa de desemprego de 11% (só no mês de março); vítimas de assassinatos se proliferando mês a mês, ano a ano (só em São Paulo, tivemos 37,3% de homicídios dolosos de janeiro a março, um aumento de mais de 26% em relação ao ano passado) entre outros indicadores sociais, a abordagem sobre a relação entre atividade física e saúde deveria ser veiculada em um patamar muito mais responsável e esclarecedor, como requer toda boa matéria sobre qualquer tema.

Se a Rede Globo e o Bom Dia Brasil, está realmente preocupada com a saúde do brasileiro, que tal utilizar um Globo Repórter para falar sobre o tema em uma abordagem mais ampla e crítica, esclarecendo ao povo brasileiro o comportamento dos planos privados de saúde e o papel do seus lobistas no congresso nacional?

Ontem, os médicos de todo o país pararam para denunciar o descaso dos planos de saúde para com a remuneração das suas horas trabalhadas, que repercute diretamente na cada vez mais falta de qualidade do atendimento, com prejuízo para todo o cidadão brasileiro.

Mas o que fez a "Vênus Platinada" um dia depois? Dourou a pílula e deu a receita. Para sanar estes e outros problemas de saúde, faça atividade física ao menos 30 minutos por dia. Caso contrário, você será taxado de preguiçoso, de sedentário, esses sim, os verdadeiros vilões da sua falta de saúde.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Soberania? Às favas!!!

Todos nós já tomamos conhecimento do grau de ingerência da FIFA na soberania dos países que se tornam sedes do megaevento Copa do Mundo. Todas as leis que valem para o país e seus cidadãos não valem para o torneio mundial.

Por exemplo. O Estatuto da Juventude, recém criado, é válido em todo o território brasileiro. Menos em lugares que sediam eventos organizados pela FIFA. Esta organização torna-se um estado dentro do Estado, prevalecendo, portanto, suas regras em detrimento das leis nacionais dos países sedes.

Aqui em Salvador, o bolinho de feijão, conhecido como Acarajé, patrimônio cultural do Brasil, será impedido de comercialização na época da Copa das Confederações e da Copa do Mundo nas proximidades do evento, mais precisamente no raio de 2 km.

Eis que agora, a FIFA sai com mais uma. Segundo a Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo (Sucom) de Salvador, as festas de São João em junho, quando ocorre a Copa das Confederações, foram proibidas na capital baiana por conta de uma ordem da FIFA. (Site da Tribuna da Bahia, citado pela Carta Capital).

Acreditem. Dá até para duvidar, tamanho o desvario, mas é a pura verdade.

Contrato com a FIFA

"Os contratos da FIFA com os países sede de Copas do Mundo são os mais leoninos possíveis. Aderir a eles é ver uma nação curvar-se" (Alberto Murray Neto - pelo twitter @albertomurray)

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Grande interrogação

Além da festa, o que a Copa das Confederações, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 deixarão de legado para o País?

Quem trafegava hoje pela manhã nas imediações da Arena Fonte Nova, não compreendia o por que de tanta água.

Tudo bem que choveu bastante na madrugada. Mas para um lugar que comporta uma Arena que custou milhões de reais e que simboliza a modernidade, os novos tempos históricos, entre outras cantilenas, ficar intransitável por falta de escoamento da água, para mim expressa a falácia do tal legado, que inclui, entre outras coisas, a chamada mobilidade urbana. Impossível hoje pela manhã, repito, nas imediações da Arena Fonte Nova.

Fica então, mais uma vez, a grande interrogação: além da festa, o que a Copa das Confederações, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 deixarão de legado para o País?

Quem mente?

“Os salários não estão em dias. Ainda não recebemos do contrato com a Arena Fonte Nova, eles ainda não pagaram janeiro, fevereiro e março. Estamos devendo alguns dias do mês de março, já que venceu dia 05, só que temos recursos a receber, mas eles (Arena Fonte Nova) tem algumas dificuldades e ainda não pagaram, porém tenho confiança que até o BaVi iremos pagar”, declarou o mandatário tricolor à Rádio Excelsior.

“O Esporte Clube Bahia e a Fonte Nova Negócios e Participações S/A (FNP), concessionária responsável pela operação e gestão da Itaipava Arena Fonte Nova, esclarecem que as partes estão cumprindo com todos os compromissos firmados no contrato assinado no dia 4 de abril de 2013 e que mantém uma ótima relação comercial.”

Retirado do site Bocão News

PERGUNTA QUE FAZEMOS EM ALTO E BOM SOM: QUEM ESTÁ MENTINDO???

Por que a surpresa?

Sinceramente, não sei porque tantas surpresas com os resultados de ontem  e de hoje em relação aos jogos do Barcelona contra o Bayerh de Munich e do Real Madrid contra o Borussina Dortmund.

Todos os quatros fizeram jus ao chegar nas semi-finais e todos ainda têm as virtuais credenciais de chegarem às finais. Dos 180 minutos foram jogados apenas, 90.

Gostaria de lembrar uma importante máxima de que o futebol é uma caixinha de surpresas. Não tem nada definido ainda, apesar da grande vantagem que os considerados "azarões" conseguiram em função das suas consideráveis performances nos primeiros jogos das semi-finais da Champion League.

terça-feira, 23 de abril de 2013

O lucro da FIFA

A Copa do Mundo de 2014 já começou faz tempo. Desde o sorteio que consagrou o Brasil como sede do torneio, em outubro de 2007, várias peças de diferentes pesos vem sendo movidas, atendendo diferentes interesses que miram desde o simples torcedor até a mais estruturada empreiteira, passando por empresários e trabalhadores diversos, todos vislumbrando como capitanear mais e melhor, dentro das suas possibilidades, as divisas próprias do evento.

Dentre todos os sujeitos envolvidos, estruturas e instituições, provavelmente a que mais ganha a cada Copa do Mundo é a Federation Internationale de Football Association - FIFA. E ganha de todos os lados possíveis e imagináveis.

Dirão os incautos de plantão que isso é mais do que justo, já que a mesma é a organizadora do evento. E se ela vai ganhar em torno de 10 bilhões de reais, valor 110% superior a Copa realizada na Alemanha, em 2006, isso se deve única e exclusivamente a sua competência empresarial.

Parece-me que aqui reside o problema. A FIFA NÃO É UMA EMPRESA!!! Ela não deve visar o lucro, já que é uma organização sem fins lucrativos. No entanto, desde 1993, ano em que a federação maior do futebol amargava até então um déficit de 11 milhões de dólares, que a mesma vem auferindo lucros e mais lucros, tornando-se uma organização bilionária.

O dinheiro vem de várias fontes e isenções de impostos. Uma das principais é o direito de transmissão dos jogos que a mesma negocia com as redes de televisão de todo o mundo. O outro filão vem da venda de ingressos que, inclusive, já começaram a ser vendidos para a Copa de 2014, variando entre R$ 1.185,00 a R$ 9.126,00.

E assim, acrescidas outras variáveis da contabilidade financeira da entidade, o lucro da FIFA só aumenta. Para onde vai o dinheiro? Ela diz que é para o financiamento do futebol no mundo. Para quem acredita em conto de fada, eis uma boa história da carochinha.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Futebol baiano

Ontem, pudemos apurar algo interessante para o futebol baiano e que demonstra a sua força. Quando digo força, estou me referindo ao gosto, a paixão do torcedor pela vivência do esporte, nesse caso, o futebol, já que se dependesse dos dirigentes, os mesmos já teriam abandonado os estádio baianos há tempo. O preço dos ingressos é um dos exemplos, não o único, que motiva ao contrário, forçando os "arquibaldos" e "geraldinos" a ficarem em suas casas.

É um movimento articulado, já que há décadas o futebol é objeto do monopólio das redes de televisão, não interessando nenhum pouco, a vontade de quem gosta e muito de frequentar os estádio. Para atender a TV, melhor dizer para o torcedor que fique em casa. Uma visão míope da função social do esporte, mas que foi anos atrás, argumento de um dirigente do Esporte Clube Vitória. Para ele, não importava se o torcedor frequentava ou não o estádio, já que o mesmo representava a quinta receita do clube. Melhor mesmo era ficar em casa, dando audiência aos canais de televisão, essa sim, viabilizadora da principal receita.

Mas voltemos ao torcedor. Ontem, se levarmos em conta apenas os jogos do Bahia e do Vitória, principais forças do futebol baiano, obteremos um público total nos estádio de 7.962 torcedores, aproximadamente. Comparando com o futebol carioca, um dos mais caros do país, somados os jogos do Vasco e do Fluminense, encontraremos pífios 1.500 torcedores nos seus estádios. É mole?

E olhe que não estou nem colocando a variável clima e a performance dos clubes principais, no meu argumento. Mesmo quando ele não é nem um pouco convidativo para atividades ao ar livre e os clubes não correspondem em campo a esta paixão futebolística, os torcedores vão aos estádios.

Nota em Repúdio ao CONFEF/CREF's


NOTA ESCRITA PELO DIRETÓRIA ACADÊMICO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UFBA.

O Diretório Acadêmico de Educação Física da UFBA, Gestão 2013/2014 vem, por meio desta nota, repudiar a ingerência do Sistema CONFEF/CREF’s no NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família).
O CONFEF/CREF, através do ofício CONFEF/426/2013, “alerta” o Ministério da Saúde sobre a atuação do licenciado em Educação Física, alegando que “(...) no sentido de garantir a qualidade dos serviços e a segurança da população, vez que os egressos de curso de licenciatura em Educação Física baseados na RESOLUÇÃO CNE/CP Nº1, de 18 de fevereiro de 2002, que instituiu Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, não adquirem conhecimentos acadêmicos para intervenção no segmento relacionado ao NASF”.
O Sistema CONFEF/CREF’s é criado em 1998, com o objetivo de defender a fragmentação da formação e atuação do professor de Educação Física. Neste momento, tal fragmentação se expressa na limitação de atuação nos diversos campos de trabalho, em especial no campo da Saúde, Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF). Assim, o CONFEF/CREF tenta dividir a nossa formação, se inserindo nas universidades e espaços de trabalho.
Tomando como base as ações do Ministério Público Federal contra a ingerência do Sistema CONFEF/CREF’s em todo o Brasil (especificamente aqui na Bahia, atuação do Conselho Estadual de Educação), nós repudiamos tal atitude e chamamos todos os estudantes e professores de Educação Física a somarem esta luta.
Somos contrários à fragmentação da formação do profissional de Educação Física em Licenciatura e Bacharelado, pois esta fragmentação coloca estudante contra estudante, pra ver quem atua no campo de trabalho da Saúde, fazendo com que estes disputem entre si.

Defendemos a proposta de Licenciatura Ampliada, construída pelo Movimento Estudantil de Educação Física e pelo grupo LEPEL, que coloca no centro da formação de professores a necessidade da fundamentação teórico-prática nos campos de atuação da Educação Física, e isso inclui o NASF, a necessidade de instrumentalização para o trabalho científico e para o trabalho pedagógico nos campos de atuação, na defesa de um projeto de sociedade que caminhe para a democratização do acesso á produção humana no campo da Cultura Corporal. Temos uma experiência em andamento, a reformulação curricular do curso de Educação Física da UFBA, aprovado em 2011, que tendo 2 anos de sua implementação, vem com a proposta de defender a Licenciatura Plena de Caráter Ampliado,  com um currículo voltado para defender a atuação destes profissionais nos diversos campos, seja na escola, na saúde coletiva, no lazer, nos clubes, e nos demais campos. Esta experiência se expressa como o que temos de mais avançado em relação à formação de professores de Educação Física no país.

Convocamos todas e todos os estudantes e demais professores de Educação Física que defendem a proposta da Licenciatura Ampliada para seguir na luta juntos contra a ingerência do CONFEF/CREF’s em todo o Brasil. Sabemos que toda essa problemática em relação à atuação profissional é uma ação do capital na defesa de uma sociedade desigual, que visa os seus interesses.

Seguiremos na luta contra a atuação deste conselho e por uma formação adequada para intervenção dos professores nos diversos campos de atuação.

Educação Física é uma só!  Formação Unificada Já!

domingo, 21 de abril de 2013

Brasil olímpico?

Vários são os casos relatados de atletas que obtiveram sucesso em diferentes competições, ganharam visibilidade na mídia mas que, passado um tempo, encontram-se abandonado pelo poder público.

No que pese a defesa deste blog de que devemos lutar pela universalização do esporte, que o mesmo seja um fenômeno para todos e não apenas para poucos, não podemos deixar de considerar muito estranho o fato de um atleta com grande potencial olímpico, justo no contexto em que o governo federal divulga a intenção do Brasil em se tornar uma potência olímpica, está sem apoio algum do estado para desenvolver o seu treinamento.

Arthur Zanetti, medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, conquistando o lugar mais alto do pódium na competição masculina das argolas, pode passar a treinar por outro país, já que o Brasil não oferece estruturas adequadas para que o mesmo desenvolva todo o seu potencial.

O fato demonstra o outro lado da moeda. Se atletas como Zanetti, representante do Esporte de Rendimento, encontra-se nesta situação, imagine como não deve está os chamados esportes de base? Se pensarmos naqueles direcionados para  o tempo livre, aí então, teremos a real dimensão de como o esporte é tratado pelo estado, apesar de todo o discurso sobre lazer, educação, saúde, inclusão, etc, que gira em torno do fenômeno esportivo.

Uma lástima.

Carta Aberta: Professores e Professoras de Educação Física do Estado da Bahia

Texto escrito pelo professor Reginaldo Sacramento


Meu nome é Reginaldo Nunes Sacramento, sou professor de educação física licenciado pela UCSal, leciono no CECR - Classe II, trabalho também na Secretaria de Esporte e Lazer de Camaçari – SEDEL, e sou registrado no Conselho Regional de Educação Física, sob nº 5245 - G/BA, e MEC - LP nº 13.784.
Esta Carta que encaminho, a quem interessar possa é mais que um desabafo, é na realidade um registro da minha revolta referente à forma como a SUDESB está tratando o Esporte Escolar em nosso Estado, e quando digo Esporte Escolar englobo todos os atores desta instituição esportiva. Bem, vamos aos fatos.

No ano passado, por conta da GREVE dos Professores da Rede Pública, o Coordenador da Seletiva das Olimpíadas Nacionais Escolares, hoje Jogos Escolares da Juventude, declarou na Reunião Geral preparatória das “Seletivas”, que, segundo orientação do Diretor Geral da SUDESB, as Escolas Públicas do Estado NÃO DEVERIAM PARTICIPAR DO EVENTO, naturalmente isto foi objeto de muita revolta e discussão.

Este ano de 2013, a SUDESB agendou a mesma reunião para o dia 26 de março, data em que a Rede Pública Estadual de Ensino se encontrava de FÉRIAS, talvez outra manobra para excluir a Escola Pública, ou seria, Escória Pública?

Após várias solicitações a SUDESB voltou atrás e marcou uma segunda reunião, que aconteceu no último dia 09 de abril, no Estádio de Pituaçu. Durante a reunião que durou toda a tarde foi discutida a necessidade de incentivar a participação efetiva de um maior número de Unidades de Ensino e Estudantes, e para que isto acontecesse, a Assembleia instalada, ou seja, o fórum de professores ali presente decidiu por UNANIMIDADE:

Alterar o Regulamento nos seus Artigos 7º e 8º

Art. 7º - Poderão participar pelas Unidades de Ensino:
d)    Professores, autorizados pelas respectivas Unidades de Ensino;
e)     Para todas as etapas, os professores deverão portar o registro do Conselho Regional de Educação Física, devidamente atualizado – EXCLUÍDO

Art. 8º - Nenhum aluno-atleta ou equipe poderá competir sem a presença de um técnico ou dirigente responsável (este com apresentação do CREF atualizado). Na ausência deste, os mesmos serão impedidos de participar da competição, sendo declarados perdedores por WxO.- EM VERMELHO EXCLUÍDO
A defesa da proposta que aprovou a alteração do Artigo foi fundamentada na PARTICIPAÇÃO do estudante e da escola, entendendo que os Jogos por serem Realizados pela SUDESB, Órgão de FOMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESPORTES BAIANOS, e Coordenados pela Diretoria de FOMENTO ao Esporte, através da Coordenação de APOIO AO ESPORTE, deveriam contemplar os direitos da sociedade. E ainda, entendendo que a participação do estudante é o mais importante nos JOGOS ESCOLARES, e a única razão para sua existência.

O conjunto de professores em momento algum tentou radicalizar a proposta, e, entendendo que a participação na Etapa Nacional é condicionada ao Registro no Conselho, pelo COB, que não é Órgão Público, nem tampouco, preocupado com o esporte de participação, mas de resultados, definiu que no momento em que a competição se afunilasse e restassem apenas quatro equipes por modalidade/nipe, os professores deveriam providenciar seus registros no CREF, caso já não os possuíssem.

Minha revolta acontece no dia 12 de abril, quando a SUDESB, através da Diretoria de Fomento ao Esporte e sua Coordenação de Apoio ao Esporte publica o regulamento da competição mantendo literalmente os artigos 7º e 8º, modificados pelo colégio de professores, contrariando inclusive seu Art. 45

Art. 45 - Este Regulamento torna-se oficial e definitivo, após sua aprovação e consequente homologação, AO FINAL DA REALIZAÇÃO DO CONGRESSO TÉCNICO GERAL, conforme nele apresentado.

Se ao final da realização do Congresso Técnico Geral foi aprovada, através do voto, a mudança, porque a SUDESB publicou um regulamento diferente do que foi alterado e aprovado?


A Coordenação dos Jogos publicou um documento onde diz que a SUDESB por ser um Órgão que deve cumprir a Legislação, não poderia acatar o acordo estabelecido na assembléia, mas EXISTEM CASOS RECENTES QUE DEVEM SER LEVADOS EM CONTA:

a)            A Copa Metropolitana de Futebol, promovida pela própria SUDESB, e mais interessante, pela Coordenação de EXCELÊNCIA, que o próprio nome diz, trabalha com Performance, Excelência, Resultados, em seu Regulamento da Competição, Edição 2013, sequer faz referência a Técnicos, Instrutores, Professores, Treinadores, muito menos Registro Profissional no Conselho Regional de Educação Física;

b)            A Secretaria da Educação – SEC, realiza anualmente os JERP – Jogos Escolares da Rede Pública, e em momento algum cita o Conselho Regional de Educação Física, muito menos a necessidade de Registro em sua regulamentação técnica ou administrativa.

Desta forma, vendo a SEC, Órgão da Educação no Estado não fazer constar em seus regulamentos de Jogos Escolares a necessidade do Registro no CREF, e a Coordenação de Excelência da SUDESB, também não fazer referência ao documento, entendo que a justificativa apresentado não tem tanta força, pois, a SEC e a própria SUDESB desenvolvem programas de competição esportiva sem a dependência do Conselho Regional de Educação Física.

Então porque a Coordenação de Apoio ao Esporte insiste nesta situação? Será que o fato do Coordenador dos Jogos e da Coordenação de Apoio ao Esporte, também ser Presidente do Conselho interfere? Claro que sim.

Portanto:
·           Pelo desrespeito a instituição democrática do voto praticada;
·           Pelo claro conflito de interesses entre a Coordenação de Apoio ao Esporte e o CREF;
·           Pelo desrespeito aos professores que levaram horas buscando uma solução que atendesse aos interesses dos Jogos e principalmente da participação dos estudantes e Instituições de Ensino;
·           Pelo desrespeito aos estudantes, que terão suas participações castradas por intransigência da SUDESB, através de sua Coordenação;
·           Pelo total desrespeito ao Esporte Escolar, que vem sendo encolhido e sua falência de forma acelerada já é um fato, além do já dito, a SUDESB disponibilizará recursos (arbitragem e administrativo) para realização da Etapa Classificatória de Salvador e Fase Final, mas os municípios do Interior devem realizar suas “Seletivas” com custos próprios, inclusive deslocamento para Salvador na fase final da competição;

Deixo aqui meu voto de protesto informando que não participaremos de evento esportivo, deixando a decisão de cada um, atrelada a sua própria consciência.

sábado, 20 de abril de 2013

Jogo Beneficente

A minha nobre e querida cidade, Itabuna, estará realizando, dia 25 deste mês, com a presença de Romário, Popó e Tiririca, entre outros, um grande jogo beneficente no Estádio Luiz Viana Filho (itabunão), espaço de lembranças juvenis, onde aprendi a torcer fervorosamente em favor do Dragão do Sul, o amado Itabuna Esporte Clube, contra tudo e contra todos, mesmo quando o confronto era contra minha paixão futebolística, o Vitória Esporte Clube.

Maiores informações no Blog do meu amigo Ricky. Acesse clicando aqui

Uso ideológico do esporte

Um belo texto sobre a competição de Fórmula 1, que se realizará amanhã, no Bahrein, situado no Golfo Pérsico, pode ser lido no site da revista Carta Capital, clicando aqui.

Para nós, do Esporte em Rede, mais um exemplo do uso ideológico do esporte, entre tantos expressos na história.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Que mágico é esse?



Imagine você contratar um mágico para abrilhantar a festa de aniversário de seu filho e ele simplesmente gritar um palavrão para o menino, dizendo está se utilizando de "psicologia infantil". E quando alguém diz, na platéia que o vai processar, eles simplesmente desdenha...


I-NA-CRE-DI-TÁ-VEL!!!

terça-feira, 16 de abril de 2013

Política de esporte

"Até os bem intencionados parecem não perceber o erro em construir equipamentos esportivos sem a existência de política pública de esportes" (Jones Ferro)

Absurdo

País sem escola, sem saúde, sem transporte, sem casa, sem esgoto vai gastar bilhões em Copa e Olimpíadas. Absurdo!!! (Alberto Murray Neto)

Eleições Venezuela

O "democrata" Capriles, derrotado nas eleições venezuelana pela terceira vez consecutiva, retoma o esporte preferido da direita reacionária latinoamericana: violência e desprezo pela democracia.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Por que não aprovar uma CPI?

Amanhã teremos uma assembléia para a apresentação e, se for o caso, aprovação da prestação de contas da Confederação Brasileira de Futebol.

Esta que através do seu presidente Marin vem recebendo sucessivos ataques do ex-craque e atual deputado federal, Romário, o peixe que luta contra os tubarões do futebol.

O evento ocorrerá no luxuoso hotel da barra, no Rio de Janeiro, o Windsor Barra Hotel. Há quem diga que cheques estão sendo preparados para blindar qualquer tentativa dos dirigentes de ecoarem os seus descontentamentos.

Para os cartolas, fundamentalmente para os que se dizem indignados com o rumo da entidade maior do esporte mais querido do país uma sugestão: ao invés de aprovarem as contas, aprovem uma CPI. Só assim passaremos esta entidade à limpo.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Mixto 2 x 1 Vitória

Depois de realizar um grande jogo contra o seu maior rival no campeonato baiano, aplicando uma goleada história na inauguração da Arena Fonte Nova, o Esporte Clube Vitória, em partida com muitos erros de passe, sofre derrota contra o Mixto de Cuiabá, na casa do adversário.

A favor do rubro-negro baiano o fato de jogar a próxima partida em casa, no barradão e ter marcado um gol na casa do adversário. O que lhe dá vantagem na partida de volta.

Antes da partida, circulou no twitter que o técnico Cláudio Adão, ex-jogador do Bahia, tinha dito que o Vitória sempre foi seu freguês. E continua sendo.

Esperamos que essa escrita seja mudada no próximo jogo, terça-feira, às 19:00 horas.

Estádio com dinheiro público?

Samba de uma nota só. Paciência. Se o fenômeno se apresenta de uma mesma forma, não existe necessidade de abordá-lo de um outro jeito.

Mais uma vez, posiciono-me contra a utilização de dinheiro público para financiamento de obras que atenderão interesses privados.

Amanhã, o Ministro dos Esporte visitará o Itaquerão, considerado Estádio do Corinthians. A esperança é grande por parte dos seus dirigentes sobre o anúncio do Aldo Rebelo, Ministro da pasta, de liberação de mais de 400 milhões via BNDES para a obra do estádio.

Veremos!!!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Educação e Civilidade

É pedir demais aos torcedores do Bahia e do Vitória um pouco de educação e civilidade no momento da festa, ou vamos incluir suas atitudes de vaias generalizadas às cantoras que abrilhantaram a festa de ontem na inauguração da Arena Fonte Nova ao surrado argumento de que "torcedor é assim mesmo?".

As vaias direcionadas para a cantora Cláudia Leite, por ser torcedora do Esporte Clube Bahia e para a cantora Ivete Sangalo por ser do Esporte Clube Vitória pelas torcidas rivais foram, no mínimo, no meu entendimento, uma deselegância absurda.

Pode o torcedor ser elegante, educado, civilizado sendo ele "doente" pelo seu time? Penso que sim. E mais. Da próxima vez, vaiem. Mas direcionem as mesmas para os donos da Arena Fonte Nova, que inauguraram a mesma, cobrando preços absurdos pelo ingresso e, ainda por cima, impedindo mais de 6.000 torcedores, que ocuparam o primeiro anel do estádio de enxergarem, adequadamente, a partida em função do chamado "ponto cego".

Os mesmos querem que cumpramos as regras. E assim deve ser. Mas que eles cumpram às suas, pois é exigência da FIFA que o torcedor veja 100% do campo de jogo.

domingo, 7 de abril de 2013

Jogo da paz?

Acabo de ser informado de que no Hospital Geral do Estado (HGE), aqui em Salvador, o setor de sutura está simplesmente lotado. Torcedores e mais torcedores, do Bahia e do Vitória - este em maior número - chegam ensanguentados, feridos em vários lugares. Há relato de que uma mulher foi morta tendo o pescoço cortado.

Segundo a informante, parece que estamos tendo uma guerra lá fora.

Arrecadação milionária

O BaVi que inaugurou a ARENA FONTE NOVA teve renda de quase dois milhões, exatos hum milhão, novecentos e cinquenta e quatro mil e novecentos reais.

E nem toda a capacidade do estádio, de 50 mil torcedores, foi utilizada. Os 40 mil ingressos vendidos foram divididos entre 58% para o Bahia e 42% para o Vitória.

Bahia 1 x 5 VITÓRIA


Na inauguração da Arena Fonte Nova, só deu VITÓRIA!!!

Eu sou Leão da Barra , tradição

Eu sou vermelho e preto

Eu sou paixão
Pelos campos do Brasil
Nosso grito já se ouviu ...
Ô ô ô ô ô ô ô ô
Ô ô ô ô ô ô ô ô
Vitória!
Eu sou um nome na história
Eu sou Vitória com emoção
Eu sou um grito de glória

Eu sou Vitória de coração.


FICHA TÉCNICA

BAHIA 1 X 5 VITÓRIA

Data: 7/4/2013
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA/GO)
Auxiliares: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e José Raimundo Dias da Hora (BA)
Renda/Público:
Cartões Amarelos:
Cartões Vermelhos: 
Não houve
GOLS: Renato Cajá, aos 41'/1ºT (0-1); Maxi Biancucchi, aos 5'/2ºT (0-2); Michel, aos 12'/2ºT (0-3); Zé Roberto, aos 21'/2ºT (1-3); Vânder 29'/2ºT (1-4) e Escudero, aos 39'/2ºT (1-5)
BAHIA: Marcelo Lomba; Neto, Titi, Danny Morais e Magal; Diones, Fahel (26/1ºT), Hélder e Paulo Rosales; Adriano e Obina - Técnico: Jorginho.
VITÓRIA: Deola; Nino Paraíba, Victor Ramos, Gabriel Paulista e Mansur; Michel, Luís Alberto, Renato Cajá e Escudero; Maxi Biancucchi e Dinei - Técnico: Caio Junior.


Leia reportagem completa no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Vitoria-humilha-reaberura-Arena-Fonte_0_896910398.html#ixzz2PobbJ7uh


© 1997-2013 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 

Taxa de comodidade

Custei muito a acreditar. Mas um colega meu, ontem pela noite, informou que ao comprar o ingresso para o Ba x VI pela internet, no valor de R$ 180,00 (cento e oitenta reais), teve que pagar 10% de uma taxa de comodidade.

Fiquei intrigado. Como assim? Perguntei. Taxa de comodidade? O que isso significa?

Ele ficou me olhando. Não entendeu a minha pergunta e só balançou a cabeça, levantando as sobrancelhas e franzindo a testa em um lacônico pois é.

Então desenvolvi a minha hipótese: o fato do concessionário disponibilizar a venda do ingresso pela rede mundial de computadores, é um serviço. Ele está lhe vendendo um serviço que permite que você não precise sair de casa para comprar o ingresso. Na comodidade e tranquilidade do lar você pode adquirir o ingresso sem passar por todo o sufoco de enfrentar trânsito, sol, chuva, fila, etc, etc...e isso tem um preço!!!

Resumo da ópera. O colega pagou módicos R$ 200,00 (duzentos reais) para assisti ao jogo na nova Fonte Nova. Segundo o marketing, a mesma é o anúncio de uma nova era. Esqueceram de avisar que para participar, deves pagar uma taxa de comodidade.

sábado, 6 de abril de 2013

Contradição aparente

Amanhã, sete de abril, ocorrerá, principalmente nas cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014, em parceria com o Ministério da Saúde, a comemoração do Dia Mundial da Saúde. O evento aqui em Salvador tem o apoio também das secretarias de saúde do estado e do município, que serão representadas pelo secretário do Estado, Jorge Solla e do Agita Bahia, sob a presidência do senhor Cristiano Pitanga.

Segundo a página oficial da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, o objetivo do evento é "fortalecer a mensagem da promoção da saúde, através da adoção da prática de atividades físicas e alimentação saudável".

Ainda no mesmo diapasão, há um alerta sobre a importância de somar, à estas práticas, o "não uso do tabaco e do álcool", potencializando, ao indivíduo, a proteção das "doenças crônicas não transmissíveis" e, deste modo, prevenindo a "hipertensão arterial, diabetes e outras patologias". Em suma: atividade física somada a uma alimentação saudável é uma excelente receita para os males da sociedade moderna.

Considero a intenção belíssima. E não tenho dúvida alguma sobre o sucesso do evento e da importância da prática da atividade física, muito embora tenha minhas dúvidas sobre este debate descolado de ações mais concretas sobre a relação causal entre esta e a aquisição da saúde e, também, sobre as ações contraditórias entre o governo que promove e incentiva o evento e suas ações práticas.

Por exemplo. Já que o não uso do tabaco e do álcool é um elemento fundamental para a proteção do indivíduo em relação a aquisição de patologias, por que então este mesmo governo aceita mudar o nome da Arena Fonte Nova para ITAIPAVA ARENA FONTE NOVA? Não é a Itaipava uma fábrica de cerveja? A cerveja não contém álcool?

Para não falarem que sou "do contra", quero registrar aqui que esta contradição é apenas aparente. Faz parte das lutas que interessam às classes e frações de classes que compõem o bloco histórico essa dinâmica contraditória em relação aos fenômenos sociais, entre eles a atividade física, a saúde e as ações do Estado.

Então, o que fazer? Sugestão para também não falarem que fico apenas no lugar confortável da crítica sem propor alternativas: que tal, na caminhada, ao invés desta se resumir a um "ato de repúdio ao sedentarismo e de incentivo a vida ativa e feliz", os participantes levantarem faixas e cartazes contra esta opção do Governo?

Fica a minha sugestão, irrealizável, obviamente - pois quem paga a banda escolhe a música - do combate a esta contradição aparente.

E sobre o Balbininho?

O ginásio de esporte Balbininho, situado, antes de ser demolido junto com a Fonte Nova em 2010, na ladeira da Fonte das Pedras, foi simplesmente esquecido até o momento pela crônica esportiva baiana. Muito se lê, se ouve e se fala sobre a Arena Fonte Nova mas, nada, absolutamente nada trata sobre o Ginásio Antônio Balbino Carvalho Filho, vulgo Balbininho.

Em parte, isso expressa a hegemonia do futebol e o tratamento histórico, unilateral que damos às outras modalidades esportivas. Para que falar de um espaço poliesportivo, onde diversos campeonatos de judô, karatê, jiu-jitsu, futsal, basquete, volei entre outros eventos e shows ocorriam se podemos falar do espaço do futebol, esse sim, que mobiliza paixões e emoções diversas e, portanto, trás dividendos importantes para todos?
Parte de dentro do Balbininho

Mas a imprensa esportiva, penso eu, não pode ficar presa a esta lógica produtivista de se falar e de informar somente sobre aquilo que promove dividendos. É propósito do jornalismo, há muito esquecido nas diversas editorias, não se restringindo ao esporte, assumir "o compromisso com a verdade e a informação", atuando "dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação".

Mais do que isso, é dever do jornalista, buscar "o aprimoramento das relações humanas e sociais, através da crítica e análise da sociedade, visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros".

Esses elementos estão presentes no juramento que todos os estudantes desta área fazem ao se formarem mas, ao que parece, se esquecem quando atuam profissionalmente. Esquecer sobre uma praça esportiva da magnitude do Balbininho e não situá-lo historicamente, fazendo a crítica ao seu pífio destino - foi a baixo para dar lugar ao estacionamento da hoje Arena Fonte Nova - não condiz com a função de aprimorar as relações humanas e sociais.

Balbininho ao lado da velha Fonte Nova
Fazer crítica e analisar a sociedade, visando um futuro digno e justo para todos os cidadãos brasileiros, vai exigir a denúncia sobre o monopólio do futebol, sobre a falta de praças poliesportivas em uma cidade com mais de dois milhões e seiscentos e setenta mil habitantes e, fundamentalmente, sobre a falta de políticas efetivamente públicas de esporte e lazer para todos e não apenas para poucos.

Trazer à tona uma reflexão sobre o Balbininho é falar para além dele e da função que o mesmo cumpria. É lutar pelo direito inalienável à Cultura Corporal historicamente desenvolvida e que não deve ser resumida ao futebol nem traduzida nos seus aspectos táticos, técnicos ou de entretenimento, apenas, mas, sobretudo, nas relações políticas e econômicas que fazem parte e dão dinamismo ao chamado eufemisticamente "mundo dos esportes" que nada mais é, do que este mundo em que vivemos.

Trazer à lúmen o Balbininho é fazer a crítica contundente à lógica imperativa do metabolismo do capital, para o qual tudo o que é sólido se desmancha no ar ou é implodido pela sanha das empreiteiras sobre a anuência do Estado. Talvez por isso e só por isso, a imprensa esportiva faça um silêncio ensurdecedor sobre a outrora belíssima praça poliesportiva, carinhosamente apelidada de Balbininho.
.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Itaipava pode. Já o tal do mané...

A FIFA vetou o nome do bi-campeão pela seleção brasileira de 1958 e 1962, Mané Garrincha, de compor o nome da Arena de Brasília, no Distrito Federal, em competições organizadas por ela. Portanto, para a Copa do Mundo de 2014 o estádio não deve ser chamado de Mané Garrincha, coisa que ocorre desde a década de 80 do século passado.

Então é isso. Itaipava pode. Já o tal do Mané...somos todos nós!!!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

A regra é clara, mas pode mudar!!!

Ronaldo, ex-fenômeno, é o mais novo contratado da vênus platinada. A Rede Globo o terá como comentarista esportivo.

Para tanto, foi necessário quebrar algumas regras. A primeira, diz respeito ao vínculo do neo-comentarista com a operadora de telefonia, Claro. Todos sabemos que a Copa das Confederações terá como um dos patrocinadores oficiais, a operadora VIVO. Se o ex-jogador fosse um sujeito comum, ele seria vetado de fazer propaganda para marcas concorrentes de eventos veiculados pela emissora.

Não é o caso.

Uma outra regra que foi quebrada é a seguinte. Como funcionário da Globo, Ronaldo não poderia ter atividades conflitantes com seu posto. Como empresário de vários jogadores de futebol, contratados pela sua empresa 9ine, voltada para o marketing esportivo, ele terá que comentar a performance de alguns dos seus clientes.

Pois é. A regra é clara. Mas de acordo com os interesses em jogo, pode muito bem ser quebrada.


Os senhores dos anéis







Momento em que o Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, concede entrevista quando da sua visita a Arena Fonte Nova, em 15 de maio do ano passado.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Quer beber? Vá à fonte

A Fonte Nova e todo o conjunto esportivo junto ao dique (alguém lembra do Balbininho?) era Patrimônio Histórico da Humanidade, tombado pelo IPHAN na década de 50 do século passado. Abrigava em suas dependências uma escola pública e a única piscina olímipica de todo o estado da Bahia.

Pois bem. Foi implodida pela sanha das empreiteiras, pelos interesses do capital e agora vai levar nome de cerveja. Pergunto aos meus botões, que incrédulos silenciam, uma pergunta simples diante de tantos desrespeito com um patrimônio da humanidade e desmandos com o dinheiro público: desde quando, álcool combina com esporte?