terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Posse de ACM Neto

Tomaram posse hoje, em todo o Brasil, os prefeitos e vereadores eleitos por escrutínio direto no último pleito municipal. Aqui em Salvador, ACM Neto (DEM), prefeito eleito com 717.865 votos no mês de outubro do ano passado, em segundo turno, tomou posse ressaltando, no seu discurso, a importância de um pacto em benefício da cidade do Salvador.

Com alguns gritos de "ACM voltou", a pompa do momento, que reuniu vários políticos e também um bom número dos cidadãos soteropolitanos, contrastou com a situação de sujeira focalizada por um programa de uma rede de televisão da cidade, onde o seu comentarista anunciava como o agora ex-prefeito, João Henrique, tinha deixado a cidade. Ao tempo que mostrava cenas do bairro Vale das Pedrinhas, que, segundo o mesmo comentarista, há duas semana não tinha o seu lixo retirado pela prefeitura, clamores e mais clamores para que o ACM Neto resolvesse a situação eram veiculados.

Em um outro canal de televisão, o prefeito eleito falou em alto e bom som de que vai "fazer um governo na rua, ao lado do povo". Assim esperamos. No entanto, já falei aqui da minha preocupação sobre o discurso  que se apresenta estar muito ligado ao gerenciamento de empresas, característica não apenas deste prefeito, mas da maioria dos que tomam posse no dia de hoje.

Será esta uma tentativa de separação entre o "econômico" e o "político"? Imagino que sim, mas só o tempo dirá.

2 comentários:

Jaqueline Lima disse...

Em seu discurso defendeu a Educação como fator que contribui com o fim das desigualdades , e em especial a educação publica , gratuita e de qualidade. Defendeu os programas sociais e a ampliação do emprego. Isso nos faz pensar que a direita está, a seu modo por que nao tocam na questão central: a propriedade privada, dando giros para se manter no poder.

Welington Silva disse...

Jaqueline. Muito interessante seu comentário. Importante frisar que o discurso, esse mesmo que não mexe na essência do metabolismo do sistema, está presente, também, na plataforma de algumas vertentes da esquerda.