sábado, 26 de junho de 2010

Os homens e os jogos

Em memória ao meu tio e padrinho Welington, que veio a falecer ontem, 25 de junho, na cidade de Aracaju, Sergipe. Torcedor do Vasco, acreditava, como muitos de nós, que futebol é jogado nas quatro linhas. O seu corpo descansa na cidade jardim, Estância, Sergipe. Livre, agora, de todos os jogos humanos.
********************************************************************************

Acreditem: o Estado de São Paulo está sem estádio para abrigar as partidas referentes à Copa do Mundo de 2014 que será realizada aqui no Brasil.

Não duvidem: o Estado do Paraná pode ter o mesmo destino.

Sobre a questão do Paraná, é apenas uma hipótese que explicaremos mais abaixo. Sobre São Paulo, é um fato. Consumado? O tempo dirá. No dia 16 de junho do corrente ano, uma quarta-feira, uma nota foi publicada na página oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) afirmando que o Comitê Organizador Local (COL) declarou que o projeto de reforma do Morumbi fora descartado.

O senhor Ricardo Teixeira, que preside as duas entidades, justificou a saída da arena morumbi dos planos do COL devido ao fato do Esporte Clube São Paulo não ter apresentado as garantias necessárias para a execução do projeto, atualmente orçado em 650 milhões de reais.

Mas há três outras versões sobre o acontecimento.

A primeira, mais simples de entender, nos fala da velha richa entre o presidente do Esporte Clube São Paulo, o senho Juvenal Juvêncio, com o senhor Ricardo Teixeira, o duplo presidente.

A segunda trás à tona o senador Álvaro Dias. Para quem não se lembra, o senador do PSDB foi quem propôs e presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da CBF/NIKE, mais conhecida como CPI do Futebol. Na oportunidade, o Ricardo Teixeira foi agraciado pelo senador da República com nada mais, nada menos do que 13 indiciamentos. Pois bem, este mesmo senador foi içado a candidato a vice-presidência na chapa do José Serra, candidato a presidência e atual governador do Estado de São Paulo.

Álvaro Dias é senador pelo Estado do Paraná. Aqui a razão da hipótese da possibilidade deste Estado sediar jogos da Copa de 2014 está ameaçada. Se o Ricardo Teixeira quer vingança pelo fato relatado, a mesma terá que ser completa.

A terceira versão é que existe um projeto, denominado de "Piritubão", na jogada. Este tem a anuência do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O mesmo já teria avaliado o projeto em visita à fazenda do Ricardo Teixeira, tempos atrás. O projeto diz respeito a construção de um novo estádio que seria contruído para sediar jogos da Copa no lugar do Morumbi. Este, orçado em 1 bilhão de reais, tem como projetista um tal de José Hawilla, amigo de Ricardo Teixeira e dono da Traffic, maior empresa de marketing esportivo da América Latina e que gerencia clubes no Brasil e nos Estados Unidos e é lider em investimentos na carreira de jovens jogadores.

Em tempo. No dia 17 de maio, o senhor Hawilla realizou uma pequena festinha para um seleto grupo de 300 pessoas para comemorar os trinta anos da entidade. Lá estavam entre os presentes os senhores Ricardo Teixeira; o jogador Ronaldo; o rei Pelé; e a cúpula de grandes clubes. Até a liderança do PSDB paulista - os pré-candidatos Geraldo Alckmin, Gilberto Kassab e Aloysio Nunes Ferreira - estavam por lá. (Leia mais sobre a festa clicando aqui)

Para quem ainda pensa que jogos da Copa do Mundo de Futebol se resumem aos jogadores presentes em campo, é bom lembrar que fora das quatro linhas que limitam o campo e para além das estruturas das arenas esportivas, outros homens jogam outros jogos.

14 comentários:

Carlos Almeida disse...

Olá a todos e todas, blogueiros!

Meus sinceros pêsames pelo falecimento do tio/padrinho e pontuando:

"Para quem ainda pensa que jogos da Copa do Mundo de Futebol se resumem aos jogadores presentes em campo, é bom lembrar que fora das quatro linhas que limitam o campo e para além das estruturas das arenas esportivas, outros homens jogam outros jogos."

Me vêm a mente fala do saudoso Saramago que diz

"...o poder de cada um de nós limita-se, na esfera política, a tirar um governo de que não se gosta... e a por outro de que talvez se venha a gostar! Nada mais....Mas as grandes decisões, as grandes decisões são tomadas em uma outra esfera e todos sabemos qual é: as grandes organizações financeiras internacionais, os FMIs, a Organização Mundial do Comércio, os bancos mundiais, a USDE, tudo isso. Nenhum desses organismos são democráticos, portanto, como é que podemos continuar a falar de democracia...se aqueles que efetivamente governam o mundo não são elegidos ou eleitos democraticamente pelo povo? Onde é que está então a democracia?"

José Saramago – Falsa Democracia

(vídeo disponível no link:
http://www.youtube.com/watch?v=m1nePkQAM4w&feature=player_embedded )

Engana-se também quem acha que vivemos em uma democracia!!!

Forte abraço a todos (as)

Anônimo disse...

"...outros homens jogam outros jogos."
Jogam jogos sujos, pelo que constatei no texto do Prof. Welington.




Kuat

Vânia disse...

Profº Welington,

Ontem, alguém me falou que havia a possibilidade de a abertura da copa de 2014 ser em Salvador. Na hora não acreditei nesta possibilidade. Agora, lendo seu texto, vejo que a depender dos interesses "dos homens que jogam sem entrar em campo" (políticos e empresários)isso pode ser possivel...

Parabéns pelo seu texto.

Vânia Moraes.

Anônimo disse...

Pois,é meu caro professor welington, para além das quatro linhas existem jogos muito mais pesados do que nossas primeiras impressões aparentes do futebol nos levam a crer.... Então temos que ter mas acesso a "resenhas" e comentários destes tais jogos para que depois não nos surpreendamos com os resultados em campo e fora dele... um abraço e parabens pela postagem!

Carlos Almeida disse...

E quem não têm acesso a tais resenhas, aos "conchavos" que se danem, pelo visto!

Welington disse...

Vânia. Para que um estádio tenha condições de sediar a abertura do evento, o mesmo deve ter a capacidade mínima de 65 mil lugares. No caso da chamada Arena Fonte Nova o número não sei ao certo, vou checar, mas me parece que o projeto é para 45 mil lugares, o que a torna inviável. Não obstante, tudo é possível quando os "homens" querem. Em tempo: o Morumbi já teve 100 mil pessoas nas finais do campeonato paulista e brasileiro.

Anônimo disse...

Meus sentimentos, professor e parabéns pelo texto. Se todas as aabordagens fosse nessa linha, teríamos outro modelo esportivo com certeza.

Carlos Almeida disse...

Em tempo...Alguém aqui leu a respeito das colocações do Governador Wagner a respeito das , digamos assim, "especulações" e suspeições em torno da reforma da Fonte Nova para a Copa de 2014, divulgadas, inclusive, aqui neste espaço em outro tópico?

Sei não viu...

Welington disse...

Carlos e demais. Ontem e hoje sairam matérias no jornal A TARDE sobre esta novela intitulada ARENA FONTE NOVA. O chefe de gabinete do governador, Fernando Schmidt andou ameaçando o tribunal de contas e o ministério público federal. Importante dizer que apesar dos imbróglios judiciais, o balbininho já foi vítima das escavadeiras, a única piscina olímpica do estado já não existe mais e internamente a fonte nova já começa a ser demolida.

Paulo disse...

Prezado Wellington, Sentimentos duplos pelo seu tio, pelo falecimento e por torcer para o Vasco.
Quanto ao futebol dentro ou fora das quatro linhas, a muito acordei sobre o fato e quem busca estudar sore a midia que tanto influi sobre ele bem sabe disso.
Forte abraço.

NTE_JuizJorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NTE_JuizJorge disse...

Prof. Welingtom e os demais!
A assessoria de comunicação do Estado vem reiteradas vezes publicando a sequencia de eventos que destacam as ações em torno da reforma da chamada Arena Fonte Nova como nos links a seguir: Secretaria da Fazenda defende legalidade da PPP da Fonte Nova dia 29/06(http://www.comunicacao.ba.gov.br/noticias/2010/copy5_of_01/29/secretaria-da-fazenda-defende-legalidade-da-ppp-da-fonte-nova). Iniciam-se as obras na fonte nova 21/06 (http://www.comunicacao.ba.gov.br/noticias/2010/copy5_of_01/21/membros-do-governo-visitam-obras-de-demolicao-da-fonte-nova) entre outras.

Parece-me é bem da verdade que jaz um caminho sem volta! Fato lamentável, que destoa com um discurso defendido e dito muitas vezes pelos partidários do atual governo como sendo uma gestão democrática e participativa. Ora, ora...

Uma falsa democracia como diria Saramago!

Até quando?

Não vou falar mais nada! Vou copiar e colar aqui o motivo da minha indignação! Cada um tire as conclusões que melhor lhes aprouver... Pq esse governador no texto se diz preocupado com a opinião do Ministério Público por ser contrário a sua opinião pessoal, opinião pessoal essa que defende os moldes e padrões estabelecidos pela Fifa (leia-se Banco Mundial) e a possibilidade da Copa de 2014 não vir a se concretizar na Bahia!

Apesar de pagar o salário desse Senhor (sim, não se esqueça, quem paga o salário do Governador somos nós) em uma das cargas tributárias maiores do mundo, tenho medo de aqui manifestar minhas impressões sob o receio de vir a ser alijado de ocupar espaços dos quais preciso para obter meu ganha pão. Um governo dito democrático que se impõe pelo mêdo?

Mas, Sr Governador não deveria esquecer-se de que é prerrogativa sim do Ministério Público investigar assuntos que digam respeito aos interesses da população ou na salvaguarda dela e dos cidadãos baianos, muito embora muitos desses não se reconheçam, em alguns momentos, como tais, enquanto sujeitos-históricos detentores de sua autonomia, cidadania. Desculpem-me a extensão da postagem! Mais uma vez... que ela ressoe muda como sempre nesse nosso buraquinho de formigueiro!
Abraços a todos e todas!
Prof. Carlos Almeida (Carlão)


Wagner desqualifica opinião do MP sobre supostas irregularidades na Fonte Nova sábado, junho 26, 2010, 13:33

O clima de festa cívica marcado pelos 188 anos do 25 de Junho comemorado em Cachoeira, não livrou o governador Jaques Wagner (PT) de responder ontem sobre duas suspeitas de irregularidades que rondam o final do seu mandato: o modelo de contrato que viabilizou o consórcio da Nova Fonte Nova e o recontrato do Banco do Brasil (BB) como administrador das contas do Estado. Apesar de não crer na prevalência da opinião do Ministério Público Estadual (MP-BA), o governador admitiu estar preocupado com a postura do órgão. “O MP-BA é (somente) uma opinião. Fico até preocupado com essa postura, porque quem fiscaliza não paga o preço do fracasso de uma obra que pode trazer a Copa do Mundo para a Bahia. Se essa obra não der certo, é a minha história que ficará com essa marca, por isso estou empenhado no seu sucesso e em fazer tudo dentro dos parâmetros legais exigidos pelo TCU, TCE e demais órgãos fiscalizadores”, argumentou.
Em relação à denúncia do deputado estadual Carlos Gaban (DEM) sobre o distrato e, posterior recontrato do Banco do Brasil como entidade financeira gestora das contas do Estado, Wagner respondeu no mesmo tom. “A opinião do deputado Gaban é (só) mais uma opinião. Na verdade, fizemos um aditivo de contrato extremamente benéfico para o Estado, e essa foi a forma jurídica que achamos mais adequada. É óbvio que ele (Gaban) não está satisfeito porque foi uma coisa boa que a gente fez para o Estado”, declarou.. (Com informações do A Tarde)

Welington disse...

Paulo. Igual a vc, também já não me deixo enganar em relação "ao futebol dentro ou fora das quatro linhas" em seus diferentes aspectos e influências, sendo a mídia uma das principais. Não é a toa que este formato FIFA, CBF e congêneres começa a se delinear na Copa de 74, a segunda Copa que teve a força da TV e de patrocinadores pesados como ADIDAS E COCA-COLA. Eu, vc e todos os que acreditam em um outro modelo de desenvolvimento esportivo, devemos lutar para mudar as estruturas onde se alicerçam, desenvolvem e ampliam os seus domínios. Forte abraço também.

Welington disse...

Juiz Jorge. A Copa do Mundo vai sim acontecer no Brasil. É sim um caminho sem volta, o que não nos impede de tecer comentários críticos sobre esse evento e sobre outros elementos que interferem no MUNDO DO ESPORTE. O que eu, o senhor e outros aqui vem fazendo, por acreditarmos que podemos sim, ter uma outra forma de gestão esportiva e o Ministério Público tem um papel fundamental nisso.