domingo, 9 de agosto de 2009

Qual a prioridade?


Enquanto a comunidade do bairro de Fazenda Grande do Retiro se reunia na última sexta-feira para protestar e pressionar contra um projeto que transforma o espaço livre da Empresa Gráfica da Bahia (EGBA) situada no bairro em galpões, o prefeito de Salvador e o Governador do Estado comemorava e capitaneava politicamente a etapa da Stock Car no circuito de rua no Centro Administrativo da Bahia (CAB) nos diferentes veículos de mídia.

Ciente da carência extrema por espaços de lazer na cidade e, em especial, no referido bairro, representantes de projeto sociais e moradores da localidade temem que dois espaços (um campo de futebol e uma quadra que juntos somam quase 4 mil metros quadrados) de lazer pertencentes a EGBA sejam transformados em galpões para depósito de materiais da própria gráfica.

São 130 mil pessoas que moram no bairro e que utilizaram o espaço durante mais de 20 anos e que estão impedidos, há quase três anos, de acessarem a área para atividades esportivas, teatrais, de leituras entre outras.

Segundo o presidente da Associação de Moradores, Sr. Dalmo Santos, foi entregue no último mês de abril à Secretaria de Relações Institucionais e à Casa Civil, um projeto que solicita ao governo do Estado a cessão da área para que a mesma não só volte a ser utilizada como espaço de lazer pela comunidade mas seja oficialmente parte constituinte desta para ser utilizada conforme objetivos traçados pelos próprios moradores que vivem, como a imensa maioria dos baianos nos diferentes municípios do Estado, em meio à violência e ao tráfico, e que já executam, por conta própria, tirando seus minguados dinheiros de seus próprios bolsos, atividades culturais diversas.

Enquanto isso, os governos constituídos por voto popular desembolsam quase 6 milhões de reais para a realização da Stock Car. Destes, um milhãos e meios foi utilizado exclusivamente para asfaltar as ruas do CAB, local da prova, montante que poderia muito bem ser revertido para financiar projetos sociais como os que são dsenvolvidos pelos moradores de Fazenda Grande do Retiro e com um alcance social infinitamente superior ao alcance de um evento esportivo como este da Stock Car, por exemplo.

O empenho agora, destes governos que governam privadamente o nosso dinheiro público é trazer, para Salvador, a Fórmula Indy. Por essas e outras questões perguntamos ao Sr. João Henrique (prefeito) e ao Sr Jacques Wagner (governador): qual a prioridade? Política pública de lazer para todos ou somente para poucos?

12 comentários:

Elson Moura disse...

Olá Welington e demais colegas!!
Estive esta semana discutindo na UEFS justamente Politicas Públicas de esporte. Lá, levantei uma bandeira. Os estudantes não contestaram. Quem sabe aqui esta minha defesa seja contestada. Isto é importante para que ela seja amadurecida.
Se trata de uma coisa simples: esporte para todos tem que ser financiado pelo Governo. Esporte privado, finaciado pelo poder privado com um mínimo - e olhe lá - de repasse do Governo.
Percebo a necessidade, como sugere o título da postagem, de se elencarem prioridades. As do Governo, no meu entender, é com as ações para a população e não para um grupo restrito.
Abraços e força na luta!!

Welington Silva disse...

Elson e demais.

A sua proposição é interessante, mas deve ser situada no marco das relações do modo atual de produção da existência para que não desemboque em um idealismo. Como sei da sua aproximação com o marxismo, penso que não seja o seu caso, embora compreendamos que existem marxismos e marxismos, inclusive os estruturalistas, pós-estruturalista e coisas que o valha. Nesse sentido, pensemos um pouco. Um governo, é governo de Estado. O Estado é burguês, capitalista logo, a política de governo será uma política voltada para setores da burguesia, do capitalismo, do lazer espetacularizado, de consumo seja de mercadorias ou de imagens entre outros. Um silogismo simples e mecânico. Portanto, devemos acrescentar a categoria luta de classes para tensionar o processo, pensando o mesmo dentro de uma lógica dialética do imediato, mediato e histórico. Caso contrário nossa proposição, na essência, não vai se diferenciar em nada das proposições de outras correntes teóricas que fundam práticas de lazer alienados.
Sigamos no debate.

Dri Viaro disse...

Oi, estou conhecendo seu blog, e quero lhe desejar uma boa semana.
bjsss

aguardo sua visita :)

Elson Moura disse...

Olá Welington e demais colegas!!
Por isso que falo da importância do debate; amadurece nosas posições.
E é neste percuros de amadurecimento que reflito com todos.
Esta minha sugestão se insere no campo daquelas mudanças que significam reformas necessárias à uma revolução (mudança do elemento central da sociedade). Não de uma reforma que leva ao reformismo(mais corre este risco). Junto com ela existe: melhoria da educação, saúde, emprego etc etc etc. Ou seja, situa-se no campo das mudanças necessárias para o amadurecimento do sujeito revolucionário.
Sem levar em desconsideração esta relação do Estado com o poder burguê Capitalista, penso ser esta uma observação que devamos levar em consideração nos momentos de eleição, discussão por dentro dos Partidos etc.
Não é uma tarefa fácil por conta dos investimentos em propaganda, mas ja nos serve de parâmetro em nossas futuras escolhas.
Enfim...sempre caminhando, aprendendo, errando, levantando...
Abraços, força na luta e no blog!!

Welington disse...

Elson e demais. Gostaria de indicar a leitura de uma obra que talvez nos ajude a compreender melhor o que você chama de revolução. Trata-se do livro O PROGRAMA DA REVOLUÇÃO, da Nova Palavra Editora. Este livro contém três textos fundamentais para a nossa reflexão. São eles o Manifesto do Partido Comunista (Marx e Engels); Teses de Abril, (Lênin) e o Programa de Transição, (Trotsky).
Como diz a apresentação do livro, "para que a ação espontânea e combativa da classe seja eficaz, um programa de lutas é decisivo - é uma bússola a apontar o rumo, mesmo em meio ao denso nevoeiro. O programa revolucionário não brota de uma cabeça iluminada. Ele é fruto da experiência, da organização e da longa história de cobates da classe operária".

Nilton Késsio disse...

Grande Welington;
Muito oportuno o seu comentário, pois em plena crise mundial, onde a cada dia o desmprego é maior, nos deparamos com fatos como estes, é cada vez maior o despreparo dos nossos governantes no que tange ao destinamento dos recursos públicos, fica bastante evidente que não há um interesse maior em se ampliar as políticas sociais, em se pensar em políticas de esporte e lazer que atendam a toda população de forma igualitária.
Abaços
Nilton Késsio

Welington Silva disse...

Olá, Nilton Késsio.

Obrigado pela sua visita e participação, cara. Apareça!!!

Rita Sampaio disse...

A PRIORIDAE CERTAMENTE NÃO É DAR UMA VIDA DIGNA AOS HABITANTES QUE FICARAM PENDURADOS NAS ÁRVORES OU VENDO NO TELÃO.
É TUDO SÓ ALEGRIA, E O ÓPIO DA SUPERFICIALIDADE CONTINUA!!!
GRANDE BEIJO.

Nailton Pinheiro de Jesus disse...

seria loucura pensar que existe algum projeto de governo federal,
estadual ou municipal objetivando beneficiar
a população .........!!

Anônimo disse...

welington, bom tarde!

Gostaria de mais informação sobre a stock car e se você tem, aí, o calendário de atividades.

Romoaldo de Souza
Rádio Jornal do Commercio de Pernambuco

FLAVIO CARDOSO disse...

eu tenho..., eleição para prefeito em 2012, para governador em 2010...

Anônimo disse...

Welington, você é nota 10. Um grande abraço. Sou joão que estudou na FSBA, amigo de João Ricardo de Itabuna. Gosto dos seus comentários. Tudo de bom para você e sua família.