sábado, 22 de agosto de 2009

Cidadão, comemore!!!

Stock Car, Cirque du Soleil, Seleção "Brasileira" de futebol. O que esses fenômenos sociais têm em comum? Além de serem eventos que foi e serão vistos pelos baianos, apenas os mais aquinhoados terão a oportunidade de experienciar, in loco, uma vivência lúdica dos mesmos.

A Seleção "brasileira", que neste momento nos interessa mais de perto, finalmente jogará em Salvador, no Estádio de Pituaçu, no dia 09 de setembro, pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2010. O jogo será contra o Chile e o ingresso custará a "bagatela" de CR$ 100,00 a arquibancada e CR$ 250,00 a arquibancada especial.

Os estudantes e idosos terão direito à meia entrada.

Por aí já podemos ter a ideia de quanto custará o ingresso para assistir aos jogos da Copa de 2010. Isso me faz lembra aquela composição de Lúcio Barbosa, imortalizada na voz de Zér Ramalho: cidadão. Parafraseando os versos, podemos compor a seguinte estrofe: "Tá vendo aquele estádio, moço. Ajudei a construir. Lá, eu quase me arrebento, fiz a massa, pus cimento, ajudei a rebocar. Foi um tempo de aflição, era quatro condução, duas pra ir, duas pra voltar. Hoje, depois dele pronto, os meus filhos pedem em prantos: pai, vamos ver a seleção jogar! Mas, dizem uns cidadãos, que crianças com pés no chão, não podem na grama pisar. Este domingo já tá perdido, fico antecipadamente entristecido, dá vontade de chorar".

Pois é. Enquanto isso, o "eterno" presidente da Confederação Brasileira de Futebol, o senhor Rica(ço)rdo Teixeira mandou avisar que ao contrário do que imaginava, precisará, e muito, que os cofres públicos sejam abertos para viabilizar a Copa de 2014 no Brasil.

Mas, vamos tratar deste assunto em uma outra postagem pois agora precisamos deste espaço para comemorar a condenação em primeira instância do mesmo Rica(ço)rdo Teixeira pelo "voo da muamba". Trata-se, para quem não lembra, da liberação das bagagens da delegação da Seleção após a Copa do Mundo de 1994.

Foram nada mais nada menos do que 17 toneladas de bagagens trazidas pela delegação da seleção brasileira. Só para termos uma ideia, foram necessários dois caminhões e seis caminhonetes para tirar todo o equipamento (a maioria eletrodomésticos) do avião fretado.

O caso teve muita repercussão na mídia nacional e envolveu, também, os Ministros da Casa Civil e da Fazenda (Henrique Hargreaves e Rubens Ricúpero, respectivamente)do governo de Itamar Franco, presidente à época, já que o senhor Teixeira ligou e falou pessoalmente com o senhor Hargreaves para liberar a muamba. Os atletas da seleção, como parte integrante do jogo, ameaçaram devolver as medalhas que tinham recebido do Presidente da República quando da escala em Brasília e de não desfilarem nos seus estados de origem, caso as "muambas" não fossem liberadas.

Em função do caso, o secretário da Receita Federal, o senhor Osíris Lopes Filho, em uma atitude exemplar, se desligou do cargo, pois o mesmo não concordava com o benefício que foi concedido para a delegação em geral e outros funcionários do secretário, em solidariedade ao mesmo, também se desligaram do órgão.

A Ação do Ministério Público Federal foi por improbidade administrativa e por enquanto tem um conteúdo simbólico, pois as sanções não pegou na parte mais sensível do eterno presidente da CBF, o bolso. Mas, a simples possibilidade do mesmo perder seus direitos políticos por alguns anos, já é motivo para júbilo, justamente porque nessa terra de um verde e amarelo muito áridos, só os pobres são alvo da justiça.

Os advo(gados) da burguesia estão recorrendo, mas, por enquanto, a sugestão é: cidadãos, comemoremos... pero no mucho!!!

8 comentários:

Anônimo disse...

É um absurdo o preço do ingresso para o jogo da Seleção "Internacional" de Futebol. Até quando o povo brasileiro pagará o luxo de Rica(ço)rdo Teixeira e CIA?
O Professor Welington já deixou explícito que o dinheiro público financiará a Copa de 2014 no Brasil. Eu quero saber desde já se o preço do ingrsso será tão "popular", pois a mídia propaga que o futebol é o esporte do povão no Brasil.

Larissa

Welington disse...

Oi, Larissa. Bom vê-la por aqui, estava sentindo falta da sua participação e argutas observações. Adorei o "Internacional".

Alberto Fortunato disse...

Professor Well. Gostaria que um dia o presidente da CBF fosse empossado democraticamente. Pois o que vemos é um cargo vitalício. É uma vergonha.

Abraços,

Alberto Fortunato - Amigo

Welington disse...

Meu querido amigo Alberto. Que coisa boa vê-lo por aqui, participando deste humilde blog. Como vai nossa terra, Itabuna? Pois é. Penso que o seu sentimento é o de todos nós.
Apareça mais vezes!!!

Rita Sampaio disse...

OBRIGADO PELA DICA. NÃO SEI DIZER COMO É NOSSO PAÍS NESTAS QUESTÕES, TUDO TÃO VERGONHOSO!!!!!MAS SUA ATITUDE FAZ A DIFERENÇA, CONTINUE A BLOGAR SUAS OPINIÕES E ME AVISE.
BJS

Cibele Aguiar disse...

Olá Welington,

Parabéns pelo blog! Está incrível! Tenho levado para minhas aulas na escola pública como ferramenta para fomentar debates, despertar o interesse por questões políticas e discutir o esporte numa nova dimensão.

Aloísio disse...

Saudações mestre!

Parabéns pelo espaço. O texto Cidadão,comemore postado em 22 de agosto,referenciou um debate interessante com meus alunos do ensino médio,precisamos analisar os acontecimentos além dos "olhos" da nossa imprensa.
Abraços.
Aloísio Oliveira

Joselito disse...

Olha wellington e demais colegas: a corrupção se generalizou, parece um câncer que está tomando todos os órgãos... públicos. De alto a baixo percebo movimentos privados invadindo os espaços públicos. Seja no Executivo, seja no legislativo, seja no judiciário. Em salvador temos um arremedo de metrô, na verdade "metrinho", que, como afirma Caetano Veloso, é uma construção em ruínas ou uma ruína em construção. Eternos candidatos em permanente campanha com o dinheiro público. Geddel, Wagner, Souto, são bem parecidos. Temos uma cidade em ruínas. Uma orla em putrefação, uma periferia entregue ao tráfico de drogas, suas vias entupidas de automóveis disputando estressados cada centímetro de asfalto, as vezes a xingamentos,murros e tiros; E é esse estado de coisas que quer Copa do Mundo? As delegacias parecem abrigos de mendigos, os postos de saúde e hospitais públicos parecem os alojamentos de feridos de guerra. E o câncer avança, sem quimioterapia que reduza seu ímpeto voraz.Relembrando Caetano novamente, não é apenas alguma coisa que está fora da ordem. Simplesmente, não há ordem alguma. Aliás, há. A ordem é...
Governar para si e para sua famíia, amigos e apadrinhados... Agora mesmo tem um projeto de lei que aposenta o governador, ganhando R$12.000 tendo cumprindo apenas metade do mandato. É. A nova ordem estadual.
Joselito